GratuitosWattpad

Conheça: A Liberdade que Limita no Wattpad

Já imaginou uma sociedade onde as mulheres detêm o poder e os homens são marginalizados? Uma sociedade onde relações homoafetivas são o padrão e pessoas heterossexuais sofrem preconceito? Soa estranho, né?

Pois, essa é a premissa que A Liberdade que Limita traz, em uma crítica social bem construída e bastante original.

O conto, composto por três partes, foi desenvolvido para o Desafio Mundos Paralelos promovido pela revista Mundo Estranho no início desse ano. A temática proposta pelo concurso era a criação de um mundo com características surreais e não-naturais ao que conhecemos. E definitivamente, o mundo apresentado aqui é bem surreal.

A crítica social é um bônus! A autora, Stefani P. Paludo, conseguiu aliar o tema a uma abordagem interessante: através do estranhamento, o leitor é levado a refletir sobre a desigualdade existente na nossa própria sociedade.

Sinopse: “A sociedade não está pronta para aceitar toda forma de liberdade”

                Em um mundo dividido em duas classes, as mulheres são seres superiores e os homens inferiores. Cada um habita uma sociedade, que funciona de maneiras distintas, eles trabalhando e sobrevivendo como podem e elas usufruindo de toda a produção e lucro gerados por eles. Afinal, o sexo feminino tem capacidades mentais mais elevadas, e a lei da evolução as tornou mais adaptadas para as necessidades do mundo. É isso que as faz superior e permite que usufruam de toda a liberdade, fazendo o que desejarem, sem compromissos e buscando a felicidade acima de tudo, sem rótulos e sem preconceitos. 

                Mas até onde essa liberdade é real?

                Luzia se sente entediada com tanto tempo livre. Já fez tudo que podia e precisa de mais emoções e mais experiências. É querendo saciar esse desejo que se arrisca a desvendar a sociedade dos seres inferiores conhecidos como homens, e descobre que eles não são seres tão horripilantes e diferentes como ouviu dizer e que ela mesmo não é tão livre quanto pensava.

Durante a leitura, você acompanha a protagonista, Luzia, e sua visão de mundo. A ingenuidade da garota é marcante, assim como seu tédio, revelando uma vida muito bem provida de privilégios em sua classe social de mulheres. E são essas mesmas características que a levam a conhecer e se aproximar dos seres inferiores: os homens.

Ao entrar em contato com um deles, um garoto chamado Gustavo, ela se depara com uma realidade cruel! Homens e mulheres, diferentemente do que dizem, possuem as mesmas capacidades e deveriam ser considerados iguais, porém é a desigualdade que prevalece. Sem as mesmas oportunidades de vida, os homens são jogados à margem da sociedade. Porém, uma vez que Luzia abre seus olhos para a injustiça, não consegue mais se conformar e se envolve cada vez mais com Gustavo em busca de respostas.

A relação entre os dois protagonistas se desenvolve de tal maneira que é fácil notar a diferença entre as condições em que eles vivem. Ela tem mais conhecimento vindo da educação formal, porém ele tem maior consciência social e noção de vida. E ambos descobrem uma nova possibilidade juntos: a de se relacionarem.

Em mais um paralelo genial, o conto mostra as relações heterossexuais como anormais, deixando ainda mais nítido o preconceito que existe na vida real. Dizem que a arte imita a vida, mas nesse caso a arte distorceu a vida e serviu de perfeito reflexo de uma realidade, infelizmente, terrível.

O conto ainda deixa em aberto muitos aspectos do mundo ali construído; detalhes que te fazem querer saber mais sobre ele. E as respostas logo virão, visto que a autora resolveu transformar a história em um romance com maior profundidade. Aguardo ansiosa por mais desenvolvimentos, pois se, com um limite de palavras, o conto já mexeu na ferida da sociedade, imagina o estrago (no melhor sentido possível) que será esse livro.

LINK da obra:
A Liberdade que Limita

Postagem Anterior

Conheça: Invisível no Wattpad

Post Seguinte

Resenha: Cinza azul (Anita Saltiel)

O Autor

Marina Feijóo

Marina Feijóo

22 anos, estudante de Ciências Sociais e escritora. Grande amante da literatura, se arrisca por entre letras e palavras desde que se entende por gente. Porém, só descobriu o Wattpad há menos de um ano, onde resolveu expôr suas obras depois de muito tempo de escrita solitária. Feminista e lésbica, busca unir o amor pela escrita com a paixão pelas causas sociais sempre trazendo reflexões sobre a sociedade em seus textos.

2 Comentários

  1. julho 23, 2017, 12:50 am — Responder

    Obrigada Mari! <3
    Muito feliz com essa sua resenha.

    • julho 24, 2017, 2:15 pm — Responder

      Já disse isso antes e continuo repetindo: é muito merecida essa resenha. <3

Deixe sua pergunta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *